quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Astronomia no Vale do Aço - Última reunião de 2016

No último dia 06/12, o Astronomia no Vale do Aço, grupo do CEFET-MG Campus Timóteo, teve sua última reunião de 2016.

Com a presença de aproximadamente 10 membros, foi realizada uma sessão de observação com o novo telescópio dobsoniano de 254mm de abertura do Astronomia, batizado de "Duília", em homenagem à astrônoma e astrofísica brasileira Duília de Mello.

Foi possível realizar observações de Vênus e da Lua. Esta última, na fase crescente, rendeu belas imagens aos olhos e às lentes também:


Foto de Warley Souza, monitor do Astronomia no Vale do Aço.

Foto de Ludmila Deslandes, colaboradora do Astronomia no Vale do Aço.

Obrigado a todos que estiveram presentes conosco nesse ano e até 2017!

Visita - E. E. Profª Maria do Socorro Andrade


No dia 21/11, o GEDAI visitou as turmas do EJA da "Escola Estadual Profª Maria do Socorro Andrade", localizada no bairro Nova Cintra, Belo Horizonte. Apesar do tempo nublado impossibilitar a observação astronômica, foi uma boa oportunidade para discutir com os alunos um pouco sobre os objetos celestes e sobre as possibilidades de vida fora da Terra. O GEDAI agradece ao prof. Abraham Santiago pelo convite e pelo carinho com o qual a escola nos recebeu. Para ver mais fotos, clique no link abaixo. 


Sarau AstroArte - vídeo clipe


No dia 21 de novembro aconteceu o Sarau AstroArte - Literatura e Astronomia. O evento, que organizado por estudantes do curso de Letras com o apoio do GEDAI, fez parte da programação oficial do VII Festival de Arte e Cultura do CEFET-MG. Confirma o vídeo clipe do sarau. Imagens e edição de Júlio Sardinha.


domingo, 27 de novembro de 2016

Entrevista: Astrologia, Astronomia e Ciência

https://issuu.com/revistacuringa/docs/curinga_ed_18_issuu

Em julho deste ano, o professor Leonardo Gabriel Diniz foi entrevistado por Anna Flávia Monteiro, repórter  da Revista Curinga, do curso de jornalismo da UFOP. Parte da entrevista foi publicada na matéria "Vai e olha o céu, a dança dos satélites, signos e constelações em nossas vidas", na 18ª edição da revista (clique aqui para acessar).

Reproduzimos abaixo a entrevista na íntegra:


1) Qual seu nome, idade e no que tem se ocupado?

Leonardo Gabriel Diniz, 34 anos. Sou professor de Física. Tenho me ocupado com atividades de ensino (aulas de Física), pesquisa (na área de Física Atômica e Molecular) e divulgação científica de Astronomia.

2) O que o estimulou para seguir com os estudos dos astros?
Embora eu seja formado em Física, não tive muito contato com a Astronomia em minha formação. Minha grande oportunidade de estudar surgiu em 2009, o ano internacional da Astronomia, quando o governo federal publicou um edital de financiamento para projetos na área de divulgação científica e Ensino de Astronomia. Como professor do CEFET-MG, enviei um projeto e fomos contemplados. A partir daí criamos um grupo de Astronomia e desde então venho estudando e coordenando atividades nesta área.

3) Como a preocupação em torno do movimento dos astros começa e onde?
Não sabemos ao certo quanto tudo começou. Do ponto de vista dos registros históricos, podemos destacar algumas marcas importantes. A orientação das pedras gigantes de Stonehenge, de aproximadamnte 4000 anos atrás, sugere um alinhamento com o movimento anual do Sol. Este conjunto de pedras pode ser considerado como um dos primeiros observatórios astronômicos. As pirâmides do Egito e da mesopotâmia possuem alinhamentos sugestivos com a disposição de algumas estrelas importantes. Destacam-se também os importantes registros da astronomia babilônica, que usou os astros para o estabelecimento de um calendário. Os egípcios também apresentam feitos importantes. Na sequência temos os filósofos da Grécia Antiga e assim por diante, até chegar no nascimento da Ciência Moderna com Galileu e companhia.

4) A astrologia nasce junto com a astronomia? Qual a separação teórica?
Se pensarmos a Astronomia como uma ciência, eu diria que ela nasce após a separação, ou seja, após o advento da ciência moderna. Se adotarmos um conceito menos rígido da Astronomia como um corpo de conhecimento relativo aos astros, eu diria que ela nasce junto com a Astrologia. Os registros históricos sugerem que as pedras de Stonehenge, além de serem usadas para acompanhar o movimento dos astros, eram também associadas a cultos religiosos e a previsão de eventos futuros. Então parece que a Astronomia e a Astrologia começaram juntas. O conhecimento do movimento dos astros, além de ser usado para situações práticas, como a definição de um calendário, também eram associadas às vontades dos deuses e à previsão do futuro. A separação acontece após o nascimento da ciência moderna. De modo simples, a ciência pode ser considera como um método de construção do conhecimento. A partir das observações, são construídos modelos ou teorias que representam a realidade. As teorias ou modelos normalmente são baseadas em algumas hipóteses, cujas consequências devem ser confrontadas com as observações ou experimentos. Caso haja qualquer desacordo, a teoria deve ser alterada ou mesmo descartada em favor de outra. A partir do nascimento desta nova forma de pensar, a Astronomia seguiu este caminho e se tornou ciência. Como a Astrologia nunca adotou e ainda não adota este método, ela não é considerada ciência. Daí nasceu a separação. É interessante destacar que Galileu, considerado por muitos como o pai da ciência moderna, pode ser considerado o último astrólogo e o primeiro astrônomo ao mesmo tempo.

Clique no link abaixo para ver o restante da entrevista.

domingo, 20 de novembro de 2016

Astrofotografia no Festival de Arte e Cultura



No dia 10/11, Júlio Sardinha, servidor técnico administrativo do CEFET-MG e integrante do GEDAI, ministrou uma oficina sobre "Astrofotografia" no espaço do Grêmio estudantil do campus I. Na parte inicial, Júlio apresentou técnicas de registro e edição de astrofotografias com aplicativos de celular. Na sequência, os participantes da oficina puderam fazer suas primeiras astrofotografias da Lua com a ajuda do prof. Sidney Maia e do monitor Lucas Reis. Este evento integrou a programação do campus I do VII Festival de Arte e Cultura do CEFET-MG. 

O GEDAI agradece ao prof. Ailton Vitor (coord. do Festival) pelo convite e ao Grêmio estudantil do CEFET-MG pela cessão do espaço físico para a realização da oficina.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Astrofotografia - Cinturão e nebulosa de Órion



No dia 11/11, o astrônomo amador Warley Souza, da equipe Astronomia no Vale do Aço, fez um belo registro do Cinturão de Órion e da nebulosa M42. A captura foi feita no município de Antônio Dias, no sítio de Victor Zanetti.

Segundo o diário de bordo do astrofotógrafo, "mesmo com a Lua quase na fase cheia (que atrapalha severamente a observação de céu profundo), uma sessão de capturas deu bons resultados do cinturão de Órion e nebulosa M42. Captura do último dia 11/11 com uma Canon EOS Rebel T4i não-modificada + lente Suntar 135mm f/2.8, total de 108 quadros (com pequena variação de tempo e ISO), equivalendo 3:36 minutos de exposição."

Nebulosa de Órion (M42) em detalhe.

sábado, 12 de novembro de 2016

Encerramento do curso "Astronomia - Primeiros Passos"

No dia 05 de novembro ocorreu a última aula do curso de extensão "Astronomia - Primeiros Passos". Voltado para professores da Educação Básica, o curso é focado na observação Astronômica e no ensino de Astronomia. Nossa jornada astronômica contou com sete sábados, de maio a outubro no Parque Estadual da Serra do Rola Moça, e novembro no planetário do Espaço do Conhecimento UFMG. Confira abaixo o vídeo clipe do curso:




O curso "Astronomia Primeiros Passos" faz parte do projeto de extensão "Astronomia na Serra do Rola Moça", uma parceria entre  o CEFET-MG e o IFMG campus Betim com a participação especial do Prof. Prado. Agradecemos ao Parque Estadual da Serra do Rola Moça pela cessão do espaço para a realização das aulas teóricas e práticas e ao Espaço do Conhecimento UFMG pela disponibilização do planetário na última aula. O GEDAI agradece à Diretoria de Extensão e Desenvolvimento Comunitário do CEFET-MG e seus servidores pelo apoio de sempre. 

Este projeto foi apoiado pelo edital CEFET-EXT 2016, com bolsas para monitores e verba para aquisição de equipamentos, e pela FUNDAÇÃO CEFETMINAS, que possibilitou um lanche de confraternização no encerramento do curso.  

Confira as fotos do encerramento no álbum abaixo:

Encerramento - Astronomia Primeiros Passos 2016